A busca por dados de monitoramento da poluição na atmosfera.

Atualmente, existe uma crescente preocupação por parte dos governos para a medição da quantidade de poluentes em ambientes que estão sujeitos a uma grande concentração. Os principais componentes desse ambiente poluído são: material particulado (em inglês, PM2.5 e PM10), Ozônio(O3), Dióxido de Enxofre(SO2), Monóxido de Carbono (CO),  óxido nítrico(NO2). Os Estados Unidos, e a maioria dos países dentro do bloco da União européia, possuem várias estações de medição, distribuídas dentro de seus territórios para a estimação dos poluentes no ambiente na unidade micrograma por metro cúbico (ug/m^3).No Brasil, entretanto, muitas regiões do país ainda carecem de sistemas para tal monitoramento,segundo o relatório de 2014 do Instituto de Saúde e Sustentabilidade sobre o monitoramento da qualidade do ar. Apenas nas regiões mais populosas dentro do centro-sul do país possuem um sistema de medição por parte do órgão ambiental do estado.

Em São Paulo , a Companhia de Tecnologia e Saneamento Ambiental (Cetesb) desenvolveu o sistema QUALAR, e instalou estações tanto na região metropolitana como em outras cidades do estado. Apesar de ser comum ter esse tipo de monitoramento por parte de um departamento do estado, é possível que uma iniciativa livre ou empresa venha fazer suas próprias medições, como é o caso do grupo codigourbano. Essa frente, utilizando um sensor mais barato, mede a qualidade do ar com melhor precisão em tempo real e manda as informações para internet, que podem ser acessadas no site opendustmap(ODM).Já Empresas como a International Business Machines (IBM) e a Microsoft, podem desenvolver plataformas mais robustas para o monitoramento da qualidade de ar, como é o caso de Beijing na China.O número de estudos e pesquisas a respeito do impacto da poluição do ar de São Paulo são vastos, mas apenas o QUALAR e o ODM dispõem dos recursos necessários para fazerem medições de hora em hora sobre a qualidade do ar.Como não existe nenhum interesse por parte do governo para o uso de sistemas mais sofisticados feito pelas grandes empresas de tecnologia, o QUALAR e o ODM são os únicos sistemas capazes de obter informações dos poluentes do ambiente em São Paulo.

==========================================================================

Referências:

O desafio dos dados abertos para monitorar a qualidade do ar em SP

https://openaq.org/#/sources

http://opendustmap.com/#search

http://www.reuters.com/article/us-china-pollution-idUSKBN0UB1KB20151229

http://www.huffingtonpost.com/entry/ibm-big-data-air-pollution_us_56684e44e4b080eddf565510

http://sistemasinter.cetesb.sp.gov.br/Ar/php/mapa_qualidade_rmsp.php

http://sistemasinter.cetesb.sp.gov.br/Ar/php/mapa_qualidade_interior.php

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s